Nome Binomial
Acanthurus chirurgus
Estado de Conservação
IUCN
LC - Least Concern
Pouco Preocupante
Classificação Científica

Descrição

Acanthurus chirurgus, comumente chamado de cirurgião ou doctorfish tang em Inglês e barbero rayado ou cirujano rayado em espanhol, é um peixe marinho tropical comum no Oceano Atlântico

Características

Chegando a um tamanho máximo de 39 cm e 5,1 kg, o Acanthurus chirurgus recebe este nome em função de possuir espinhos que lembram “bisturis”, que estão localizados em ambos os lados do pedúnculo caudal.

Este “bisturi” é usado durante as lutas com outros “cirurgiões” e como um mecanismo de defesa contra predadores.

Sua coloração geralmente varia de azul-cinza ao marrom escuro. De 10 a 12 barras verticais estão sempre presentes, mas muitas vezes tênues. As bordas das barbatanas caudal, dorsal, e anal são azuis. Também existe um anel azul fraco que pode ser visto rodeando o “bisturi” em ambos os lados.

O peixe cirurgião tem uma boca pequena com uma única fileira de dentes usados para arrancar plantas dos corais e das rochas.

Hábitos

Eles formam pequenos grupos e são frequentemente encontrados com peixes-barbeiros (Acanthurus bahianus), que também se alimentam de algas.

Características

Chegando a um tamanho máximo de 39 cm e 5,1 kg, o Acanthurus chirurgus recebe este nome em função de possuir espinhos que lembram “bisturis”, que estão localizados em ambos os lados do pedúnculo caudal. Este “bisturi” é usado durante as lutas com outros “cirurgiões” e como um mecanismo de defesa contra predadores. Sua coloração geralmente varia de azul-cinza ao marrom escuro. De 10 a 12 barras verticais estão sempre presentes, mas muitas vezes tênues. As bordas das barbatanas caudal, dorsal, e anal são azuis. Também existe um anel azul fraco que pode ser visto rodeando o “bisturi” em ambos os lados. O peixe cirurgião tem uma boca pequena com uma única fileira de dentes usados para arrancar plantas dos corais e das rochas.

Alimentação

Esta espécie gasta horas do seu dia se alimentando de algas e detritos orgânicos. Seus dentes são especialmente moldados para a raspagem de algas e matéria vegetal a partir de rochas. Pelo fato de engolir toda sua comida, ele tem um órgão tipo uma “moela” no intestino, cheio de partículas de areia, que ajudam a triturar os alimentos antes de iniciar o processo digestivo.

Distribuição

O peixe é normalmente encontrado entre os afloramentos rochosos e recifes de coral. Sua distribuição é característica no Atlântico, de Massachusetts até o Brasil, incluindo o Golfo do México e o Caribe, é também encontrado na costa oeste da África tropical. Tem a maior distribuição do seu gênero, de 38 espécies.

Reprodução

Todo os peixes cirurgião têm sexos separados e a maioria das espécies de tamanho médio têm ciclos de vida similares. Os machos e as fêmeas alcançam a maturidade reprodutiva em tamanhos diferentes; as fêmeas podem se reproduzir perto do seu tamanho máximo, a uma idade de aproximadamente 2 anos. A maioria dos peixes cirurgião se recolhem em grandes cardumes para se reproduzir (em agregações de desova) quando as águas se aquecem e frequentemente na época da Lua cheia. As áreas ou os locais de desova estão frequentemente localizadas na borda exterior dos recifes ou em passagens próximas do recife. No local de desova cada fêmea libera milhões de ovos muito pequenos na água e estes são fertilizados pelo esperma liberado pelos machos . As massas de ovos e esperma aparecem em forma de nuvens brancas na água e alimentam muitos peixes. Os ovos fertilizados desenvolvem em formas larvais que vagam no mar por 2 a 3 meses. Menos de um em cada mil larvas sobrevive para transformar-se um peixe novo (juvenil), com aproximadamente de 3 cm de comprimento. Menos de um em cada cem juvenis sobrevive para se tornar adulto maduro aos 2 anos de vida. Cada ovo é inferior a um milímetro de diâmetro e contém uma pequena quantidade de óleo para a flotação. As translúcidas larvas eclodem no prazo de 24 horas de fertilização. São comprimido lateralmente e em forma de diamante com olhos grandes e nadadeiras peitorais. Muitas partes do corpo, tais como escamas e as barbatanas dorsal e anal, não se desenvolvem até que as larvas cheguem a 2-6 mm de comprimento. O “bisturi” não aparece até que estejam com cerca de 13 mm de comprimento. Como o “bisturi” cresce, as lombadas anal e dorsal encolhem. Uma vez que o peixe atinge cerca de 2 – 5 mm de comprimento, ele se move para a parte inferior, onde continua a crescer, eventualmente, atinge a maturidade sexual em cerca de nove meses.

Galeria da Espécie

Rede Colaborativa AkantusRede Colaborativa AkantusRede Colaborativa Akantus

Você possui mais informações, fotos ou vídeos sobre esta Espécie?

Faça Login e coloque a informação em um comentário abaixo, que teremos o prazer de incluir no artigo.

Nossa rede colaborativa é feita de profissionais e curiosos, junte-se a nós !